1º Boeing 737-200 da Varig será transformado em Hotel e Centro de Eventos

Na aviação existem diversas maneiras de se reviver o passado e valorizar os detalhes principalmente da época de ouro. Chegou a vez do primeiro Boeing 737-200ADV recebido pela Varig ganhar uma nova ‘sobrevida’, a aeronave também operou pela Rico Linhas Aéreas antes de deixar de voar.

A Varig recebeu o avião em 1974, diretamente da fábrica da Boeing. A aeronave recebeu a matrícula PP-VME e operou por mais de 20 anos somente na Varig. No início dos anos 2000, a aeronave passaria a operar pela Nacional Transportes Aéreos com a matrícula PR-NAD.

O avião já se encontrava totalmente branco a espera da nova empresa, entretanto não chegou a operar pela Nacional. Como o inicio dos anos 2000 foram difíceis para a Varig, alguns 737 maiores tiveram de ser devolvidos para que a empresa conseguisse manter um bom fluxo de caixa. 

Com isso a Varig trouxe de volta cerca de 5 737-200 para operar e ajudar a intensificar os voos que agora sofriam a concorrência da GOL com os -700. O 737-200 foi extremamente importante na aviação brasileira, pois foi uma aeronave que permitiu as companhias aéreas ampliar suas malhas com uma aeronave capaz de operar em todos os Aeroportos.

A versão -200 na época era um ápice no quesito modernidade, a era dos jatos tinha começado a não muito tempo atrás. Fato é que esse pequeno Boeing 737 podendo levar até aproximadamente 136 passageiros em sua máxima configuração, despertou o interesse de pelo menos 3 grandes empresas só no Brasil.

A introdução do modelo na Vasp, que foi a primeira no país a operar o modelo, logo em seguida a Varig e a Cruzeiro, permitiram reduzir bastante o gasto com combustível e também com manutenção na época. A aeronave fez tanto sucesso que operou pelo menos 30 anos pela Varig e muito bem voado.

O PP-VME deixava de operar oficialmente pela Varig em 2003, após muitos anos de bons serviços prestados a empresa. No ano seguinte foi incorporado pela Rico Linhas Aéreas, juntamente com seu irmão PP-VMM. 

A Rico operou voos regulares até meados de 2010, quando suspendeu suas operações e teve suas operações definitivamente encerradas em 2011. Atualmente a empresa permanece operando como Táxi Aéreo.

O PP-VME foi deixado em São José dos Campos, estragando com tanta chuva e tanto sol que levou nesses últimos anos. A aeronave está com seu interior completo, desde os bancos até seus compartimento de bagagem. As galleys e os lavatórios praticamente os mesmos, porém claro empoeirados e bem sujos. 

 

A sua nova chance

O Boeing 737-200 PP-VME agora se junta ao Douglas DC-3 PP-ANU, Fokker 100 PR-OAF e outros, para continuar a sua história na aviação. Dessa vez não será voando, mas pelo menos a sensação que possa estar em condições de simular um voo. 

O Blog Caixa Preta da Solange fez uma entrevista com um ex-comandante de 737, o Sr. Shioga. O Comandante Shioga possui 20 mil horas de voo em sua bonita trajetória, sendo 7 mil e 500 horas somente no Boeing 737-200.

Ele será o responsável por dar uma nova chance ao PP-VME de continuar a sua história na aviação, mas de uma forma bem diferente. Os planos são ambiciosos e tem de tudo para ser bem sucedido, e ser mais um exemplo que a aviação brasileira não vai deixar se apagar sua grande história.

“A ideia é criar um complexo com um hotel e um centro de eventos. O avião será acoplado ao centro de eventos com um finger semelhante a um aeroporto e, no centro, haverá uma torre de controle que servirá de recepção tanto ao hotel quanto ao avião, vamos realizar voos virtuais.” Disse o Comandante Shioga em entrevista ao Blog Caixa Preta.

“Venderei pacotes turísticos para o cliente ter uma experiência de voo, onde haverá cinco a sete destinos, cada pacote será um destino. Por exemplo, ele pode voar de São Paulo para Roma, vendo a decolagem de Guarulhos e o pouso em Roma por duas telas no anteparo do avião. Atingindo a “altitude de cruzeiro”, tira o cinto de segurança, e daí lhe será servida a comida do destino aonde está indo, italiana, por exemplo. O diferencial desse voo vai ser usar óculos de 3D, quando chegar ao destino, para o passageiro fazer um tour virtual por Roma, por exemplo. Um tour pelo Coliseu, Vaticano etc.  Haverá outros destinos, inclusive na Ásia. Mas não será só isso. “Vamos trabalhar também com duas escolas de aviação, com as quais já mantenho contato, e haverá treinamento para comissários. Outra parceria também será com psicólogos, para ajudar pessoas que têm medo de voar de verdade.” Complementa. 

Rico Linhas Aéreas Varig Boeing 737
Foto: Acervo Comandante Shioga
Foto: Acervo Comandante Shioga
Foto: Acervo Comandante Shioga
Foto: Acervo Comandante Shioga
Foto: Acervo Comandante Shioga
Foto: Acervo Comandante Shioga
Foto: Acervo Comandante Shioga
Foto: Acervo Comandante Shioga
Foto: Acervo Comandante Shioga
Foto: Acervo Comandante Shioga

O Boeing 737 praticamente teve o seu interior intacto, mesmo sujo com marcas do tempo. Praticamente sobraram os banheiros, todos os assentos, e todos os componentes da cabine de comando.

As fotos são do Acervo do Comandante Shioga, que fotografou no momento que a aeronave estava sendo transportada.

A entrevista completa pode se conferir no Blog Caixa Preta da Solange no link a seguir: https://caixapretadasolange.blogspot.com/2021/01/plantao-caixa-preta_27.html

 

O post 1º Boeing 737-200 da Varig será transformado em Hotel e Centro de Eventos apareceu primeiro em AEROFLAP.